Peruíbe (13) 3451-7000 | Itanhaém (13) 3422-2277

Dicas
Deficiência Auditiva

 A deficiência auditiva é assunto sério e, geralmente, as pessoas não dão a devida importância a ela. Talvez seja pelo fato de não causar risco de vida, incômodo físico (dor), não ser visível e “socialmente” aceitável quando moderada. Na maioria das vezes passa desapercebida durante toda infância, comprometendo o desenvolvimento educacional e social do indivíduo, acarretando atraso, às vezes irrecuperável. Isso ocorre porque a deficiência auditiva interfere na capacidade de percepção da fala e impede o indivíduo de aprender a se comunicar. Dependendo do grau, pode reduzir ou até mesmo impedir o aprendizado. Daí a importância de se fazer exame auditivo quando bebê com profissional habilitado.

Mas as crianças não são as únicas atingidas de maneira negativa pela perda auditiva. No adulto ela pode produzir uma série de complicações psico-sociais. Para o adulto idoso, sabe-se que a deterioração da capacidade auditiva e os problemas associados à compreensão da fala afetam a qualidade de vida do indivíduo. Geralmente, os idosos com deficiência auditiva têm maior probabilidade de apresentar um quadro de saúde geral ruim. Possuem a mobilidade reduzida e quase não saem de suas casas, têm menos contato com amigos e familiares, pois o diálogo se torna difícil. Acabam isolando-se do convívio social, limitando ainda mais seus horizontes já tão reduzidos pelo fator idade, gerando ansiedade, aumento na tensão e, conseqüentemente, depressão.

Por isso, ao menor sintoma de perda auditiva, procure um especialista. Muitos casos, quando diagnosticados a tempo, podem ser tratados sem maiores conseqüências.

Juliana Popescu De Santis
CRF 12668, Fonoaudióloga

Voltar