Peruíbe (13) 3451-7000 | Itanhaém (13) 3421-9999 | 13 997101143

A Pandemia e Nossa Saúde Emocional e Mental

08/06/2020

*Por Dra. Patrícia Cristina Pereira.

 
Durante esta pandemia que assola a vida de todos, nossa saúde mental e emocional pode ser afetada tanto pela ameaça de contágio pelo Coronavírus, quanto pelo isolamento social. Por isso, faz-se necessário nos protegermos e nos adaptarmos ao novo estilo de vida que tal pandemia nos impõe e, para tanto, devemos criar estratégias comportamentais, emocionais e mentais em nosso cotidiano.
 
A seguir, citarei algumas destas estratégias que podem ajudá-lo (a):
 
  • Aceite seus sentimentos como naturais (tudo certo não estar perfeitamente bem neste momento – ou seja, tudo bem sentir-se receoso) pois a resistência é uma das maiores fontes de sofrimento.
  • Procure ter autocompaixão pela baixa em sua produtividade. Uma realidade é a das pessoas que estão adaptadas e acostumadas ao home office, outra é a de pessoas que estão sendo obrigadas a trabalhar em casa no meio à pandemia, no isolamento social com a família toda em casa e isto afeta nossa criatividade, concentração, entre outros.
  • Pratique mindfulness (com duração de 3 a 5 minutos) que é uma meditação para concentrar nossa atenção no momento presente, por exemplo, se concentrar em sua respiração. Se estiver deitado, concentrar-se na sensação que seu corpo tem neste momento, etc.. Não é necessário preocupar-se em não pensar em nada, pois isto é inevitável; surgirão vários pensamentos, porém, tudo o que precisa fazer é perceber que sua mente se distanciou e fazê-la voltar ao momento presente e às sensações.
  • Exercite a respiração diafragmática e se sentirá mais calmo, tanto física quanto mentalmente. Como praticá-la: inspire profundamente pelo nariz, prenda a respiração inflando o abdômen enquanto conta até seis e expire lentamente pela boca.  
  • Pratique solidariedade, ou seja, procure auxiliar as pessoas ao seu redor no que estejam precisando, isto ajuda não só a pessoa a quem se destina seu ato de solidariedade, como também a você mesmo, pois estas atitudes produzem sentimentos de maior felicidade e diminuem o sofrimento mental.
  • Exerça a gratidão, que é a apreciação por coisas boas que acontecem em seu dia a dia. Você pode criar o compromisso com você mesmo de, diariamente, pensar em pelo menos duas coisas boas que ocorreram em seu dia.
  • Mantenha rotinas de horários, de hábitos, de contato com as pessoas.
  • Limite sua exposição às informações sobre a pandemia (limitar para uma ou duas fontes de informação as quais você mais confia e uma ou duas vezes ao dia somente).
  • Escolha bem os líderes que você seguirá, pois há uma enxurrada de especialistas, políticos, que falam muitas coisas até contraditórias entre si e isto nos deixa confusos e mais ansiosos (escolha um líder da saúde e um líder da política, por exemplo).
  • Silencie grupos de Whatsapp, que dão notícias a todo momento sobre a pandemia para não sentir-se tentado a ver tais informações a todo instante e que podem, inclusive, ser Fake News.
  • Limite conexão com pessoas tóxicas, como as pessimistas, alarmistas e sensacionalistas. O que realmente importa neste momento, é conectar-se às pessoas significativas para você.
  • Pratique exercícios físicos.
*Dra. Patrícia Cristina Pereira é psicóloga
CRP 06-96.815.