Peruíbe (13) 3451-7000 | Itanhaém (13) 3421-9999 | 13 997101143

Terapia Ocupacional no Centro Clínico Peruíbe

19/10/2006

Uma das novas especialidades do Centro Clínico Peruíbe é a Terapia Ocupacional e a Dra. Adriana Lúcia Portezan Aparecido, profissional da área, fala sobre a profissão, quando é indicada e benefícios para a saúde do paciente.


Da Assessoria de Comunicação

 

A Federação Mundial dos Terapeutas Ocupacionais (World Federation of Occupational Therapists – WFOT), 1989, define que: “A Terapia Ocupacional é o tratamento de condições físicas e psiquiátricas através de atividades específicas para ajudar as pessoas a alcançarem o seu nível máximo de função e independência”.

 

Segundo a terapeuta ocupacional Adriana Lúcia Portezan Aparecido (CREFITO - 3 / 8067 – TO), esta é uma profissão que atua em áreas como a educacional, assistencial e saúde. “Ela é a arte e a ciência que, por meio da aplicação de atividades, possibilita um melhor desenvolvimento, podendo usar de adaptações e ferramentas para o tratamento”.

 

Adriana explica que o objetivo da Terapia Ocupacional é solucionar os problemas de saúde física, mental e social, ajudar na independência e melhorar a qualidade de vida.

 

O papel do Terapeuta Ocupacional – Adriana destaca que a missão do terapeuta ocupacional é intervir para ajudar a pessoa a equilibrar sua disfunção e recuperá-la: “inicialmente a primeira preocupação é ajudar o paciente a definir o que é insatisfatório na sua atual situação e como gostaria que fosse essa situação, para em seguida oferecer uma melhora global às suas necessidades. Com isso a Terapia Ocupacional terá como principal beneficio o alcance do nível máximo de funcionalidade e independência do seu paciente”.

 

Patologias - A Terapia Ocupacional pode ser aplicada à pacientes com acidente vascular cerebral (AVC), Mal de Alzheimer, atraso no desenvolvimento neuropsicomotor, autismo, deficiência mental, dificuldade de aprendizagem, paralisia cerebral, Mal de Parkinson, dificuldade de memória, síndromes genéticas (Down, Rett), doenças neurológicas.

 

Técnicas – “O exercício profissional do Terapeuta Ocupacional envolve várias intervenções e sua prática se constitui de procedimentos que compõem um programa terapêutico ao usuário”, conta Adriana Portezan. Ela explica que a intervenção terapêutica ocupacional compreende abordagens e/ou condutas do Terapeuta Ocupacional baseadas em critérios avaliativos como eixo referencial, pessoal, familiar, coletivo e social com enfoque cognitivo, perceptivo, sensorial, motor, funcional, laborativo, afetivo e social, devendo ser coordenadas e qualificadas de acordo com o processo terapêutico do usuário.

 

Mais informações no site: www.adrianato.com.br